segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Existe algo dentro dele que me faz querer aproximar. Existe algo, sim… Alguma coisa que eu nem sei exatamente o que é, mas me faz morrer de vontade de perder-me dentro da imensidão daqueles olhinhos. Percebo que sou realmente uma confusão ambulante. Me sinto absurdamente bem quando ele está por perto, abro sorrisos e tenho uma vontade imensa de me aproximar. Mas não sei por que. E também não sei como fazer isto. É um tanto quanto complicado para mim, que nem se quer consigo descobrir se esse sentimento seria recíproco. Aliás, eu chamei isso de sentimento? Realmente, as coisas estão indo piores do que imaginei. Ah, eu não posso machucar-me novamente. Não suportaria.




Mas também não posso fazer absolutamente nada. Tenho receio de me mover para mais perto sem ser realmente bem-vinda. E a minha dificuldade de ler os sinais que poderiam existir não colabora muito comigo. Aliás, porque as pessoas falam tanto por enigmas? Eu apenas… Gostaria que isso fosse de verdade dessa vez. Gostaria que isso, seja lá o que for, fosse real. E recíproco.



Espero pelo dia em que saberei.

Nenhum comentário:

Postar um comentário